Atendendo a algumas respostas apreciativas e inúmeras ignorativas, aqui está......

13 outubro 2012

Comentário no blog da Raquel Rolnik


Há tantos erros nesse artigo que talvez fosse mais fácil tentar achar os acertos. Mas vamos aos principais.

1 - A região mais central de S Paulo historicamente foi a que votou contra a ditadura, contra Jânio e contra Maluf. Isso não surpreende, porque as pessoas que tiveram oportunidade de estudar mais se defendem melhor da pressão das ideias reacionárias. O PT ganhou os votos na periferia, que tendia a votar nos candidatos mais à direita, pela força de suas ideias e simplificação da apresentação.

O artigo confunde esse ponto usando um conceito inadequado, de "voto anti-petista", o que se explica pelo usa da janela "histórica" curta de menos de 10 anos, somada ao uso rígido da dicotomia direita-esquerda, que não representa adequadamente o pensamento do eleitor.

2 - As sutilezas da variação da porcentagem de votos nos últimos 4 anos não indicam uma mudança secular do padrão de comportamento do eleitor, e são melhor explicadas como opções dependentes das qualidades dos candidatos. Em particular, Haddad é um candidato muito melhor que Marta Suplicy. Essa não é a minha opinião particular - fio a opção do Lula, um dos maiores entendidos em política brasileira!

3 - O fenômeno Russomanno foi uma "bolha" que estourou. Se a eleição tivesse sido alguns dias depois, ele teria ficado em 4o ou 5o lugar, talvez a velocidade da queda de intenção de voto. O fenômeno se explica pelo fato que muitos eleitores decidem na última hora e antes disso dizem qualquer nome que conhecem, e não tem maior significado quanto às grandes questões urbanas.

Acho que esses 3 são os principais erros. Agradeço a atenção.
Postar um comentário