Atendendo a algumas respostas apreciativas e inúmeras ignorativas, aqui está......

02 julho 2018

Proposta de acabar com o curso de engenharia de computação da Poli

É isso mesmo que vocês leram. O PCS, departamento que dá o curso de engenharia de computação, aprovou uma proposta de acabar com o curso. Ficaria apenas o curso cooperativo, trimestral, com número reduzido de vagas.

O motivo é o seguinte: a nova estrutura curricular da elétrica ficou inviável, excessivamente pesada para alunos e professores. Alguns de nós bem avisamos que a tentativa dos departamentos de ocuparem o máximo espaço nas grades horárias ia dar errado, mas fomos voto vencido. Só não esperávamos que quem ia desistir antes de todos é justamente um dos departamentos que mais se empenhou em fazer a estrutura do modo como ficou.

Pena é que a solução seria simples: seguir as diretrizes gerais da Estrutura Curricular EC3 da Poli, 7 matérias por semestre sendo 1 eletiva livre. É a proposta dos CEE e dos atuais alunos engajados em debater currículos. Em vez de reconhecer o erro e consertar, o Departamento de Engenharia de Computação votou por acabar com o curso.

Imagino que alguns de vocês possam ter uma opinião semelhante à minha: desmontar um curso construído ao longo de décadas é um ato de depredação do patrimônio público. Postei alguma coisa no Facebook dos ex-alunos da Poli, aguardando moderação, encorajo vocês a darem suas opiniões. Agradeço o interesse!
Postar um comentário