Atendendo a algumas respostas apreciativas e inúmeras ignorativas, aqui está......

12 fevereiro 2011

A Poli precisa de VOCÊ!

Mandei o pedido abaixo a meus colegas de turma. Mas quem não é politécnico também pode ajudar!

Caros colegas,

Estou escrevendo para pedir ajuda.

No final do ano passado uma comissão para discutir currículos da Poli montou uma proposta que pode ser lida no link:

http://ec3.polignu.org/wp-content/uploads/2011/01/relatFlexibilizacao.pdf

A parte principal está na figura da página 4, que envio anexa. Em resumo: os cursos consistiriam de matérias básicas, matérias gerais de engenharia, e matérias na especialidade, como é hoje e sempre foi; e adicionalmente 1 MATÉRIA OPTATIVA LIVRE POR SEMESTRE e no quinto ano UM PACOTE DE MATÉRIAS ESCOLHIDO POR CADA ALUNO e voltado para um projeto de formatura.

Essa proposta essencialmente foi defendida pelos alunos, e resolveria a grande maioria dos problemas que nós conhecemos na nossa época de estudante e que se mantém quase inalterados até hoje. Por exemplo continuam havendo cursos ruins dos quais não dá para fugir porque são obrigatórios; concorrência para não pegar opções desprestigiadas; currículos rígidos e superespecializadosque não atendem os interesses de nenhum estudante, mas apenas a conveniência das burocracias. A proposta de currículo acima dá a cada estudante a possibilidade de resolver esses problemas por sua própria iniciativa.

Quem já tem rebentos na faculdade sabe que as estruturas não melhoraram muito. Quem já teve contato com universidades estrangeiras sabe que a USP poderia oferecer uma experiência muito melhor se não fossem as amarras burocráticas - há gente boa para isso, estudantes e professores. Aprovar essa proposta na comissão de flexibilização foi um passo enorme. Eu diria quase um milagre. Melhor que isso é impossível na prática.

Agora começam as complicações. As forças da inércia vão começar a se organizar para desorganizar a proposta. Seria uma melhoria enorme em relação a tudo que existe na Poli há décadas, e há gente a favor, mas a proposta não vai vencer a inércia burocrática sem pressão externa.

Só vejo um modo de levar adiante essa proposta, e depende de ex-alunos com nós - na verdade de vocês, dos ex-alunos que não são professores da Poli. Precisamos de manifestação maciça das pessoas que conhecem o curso da Poli e também a realidade do trabalho da engenharia. Então vou pedir o seguinte: entrem na página de discussões de novos currículos, chamada "EC-3":

http://www8.poli.usp.br/

e escrevam com entusiasmo a respeito da flexibilização curricular. Quanto menos o meu nome e de outros professores da Poli aparecer com relação à proposta, melhor. Depois repassem esse pedido e sugestão a colegas de outras turmas, outros anos. Contra a experiência dos engenheiros formados, a inércia não vai ter argumentos.

Escrevam! Os politécnicos das gerações futuras vão ficar enormemente gratos.
Postar um comentário