Atendendo a algumas respostas apreciativas e inúmeras ignorativas, aqui está......

10 outubro 2017

O terceiro ano da engenharia elétrica na Poli

Há indicações claras de que a dedicação e o desempenho acadêmico dos alunos do 3o ano da engenharia elétrica na Poli caiu significativamente nesses últimos 2 anos. Algumas hipóteses explicativas:
  1. Os alunos estão cada vez piores. Podemos descartar essa explicação, que já vem sido oferecida há décadas, observando que a queda se deu de forma bastante abrupta.
  2. Os professores e as matérias pioraram rapidamente. Essa hipótese não explica as mudanças notadas nos cursos que observo, cujos conteúdos, equipamentos, e professores se mantiveram inalterados.
  3. As matérias que ensino eram oferecidas apenas para os alunos das ênfases controle e eletrônica, e com a reforma curricular chamada EC3 viraram obrigatórias também para computação e energia. Os estudantes dessas áreas seriam mais fracos do que os demais. Pode haver alguma correlação, a ênfase Automação & Controle há anos é a mais procurada, mas as diferenças entre os alunos não são tão pronunciadas, se é que existem.
  4. A EC3 aumentou muito a carga horária dos estudantes da elétrica, que agora fazem 9 matérias por semestre, e ficam com falta de tempo ou energia para se dedicarem a mais um assunto. Sem dúvida esse problema, apontado desde o início da discussão das mudanças por estudantes e pelos professores compromissados com a qualidade de ensino, é parte das dificuldades observadas. Devemos acrescentar que turmas e salas estão superlotadas por causa do aumento do número de matérias obrigatórias.
  5. Na estrutura curricular antiga os alunos que faziam a matéria "Laboratório de Controle" haviam optado por ela como parte da escolha da ênfase dentro da engenharia elétrica. Portanto tinham comprometimento com o assunto, "skin in the game", vestiam a camisa. 
Hoje os estudantes veem as matérias do 3o ano como um ritual imposto pela burocra, pelo sistema Júpiter, mesmo se não conhecem a história da criação de disciplinas obrigatórias, que serviu para que os departamentos "ocupassem espaços" na grade horária. Na minha opinião essa última é de longe a maior causa dos problemas que estamos observando.

Confirmação: hoje dei prova para metade da minha turma do 3o ano. Quando a outra metade ia começar acabou a luz no prédio de engenharia elétrica inteiro; como que universidade não havia se dado ao trabalho de mandar alguém tentar averiguar a razão da falta de eletricidade, resolvemos adiar o resto da prova para os próximos dias. Mas o #fato é que a maioria dos alunos sabem o que está fazendo; porém se confundem e complicam com a profusão de matérias e provas.
Postar um comentário